terça-feira, 3 de novembro de 2015

um passo atrás

foi naquele dia em que choveu, depois daquele que fez calor e antes daquele em que minha cama quebrou que eu desisti do que era certo, que optei pelo absurdo.

foi logo depois de ouvir aquela música da cantora que você gosta naquela rádio que nem existe mais que eu decidi liberar o tráfego daquele amor congestionado que formava fila em mim para ser sentido.

foi quando você pareceu puro que eu escolhi interromper meu já estacionado processo de evolução só para poder ter a chance de andar pra trás e lá, de ré, bem naquele resto de passado já gasto, esbarrar em você outra vez.

e foi ali, mesmo sabendo qual seria o fim, que eu quis viver a reprise daquele capítulo em que eu chorei. só pra, antes disso, poder repetir aquela única cena em que você me fez feliz nesse roteiro inédito que todo mundo já viu e eu já sei de cor.