quinta-feira, 12 de julho de 2012

quando você está triste você deve parecer triste

a minha alma problemática quer falar. quer contar das relações caóticas que eu me afundei. quer falar do caos que se instalou em mim, do desconforto constante de existir e de como tudo se tornou tão inadequado na minha própria construção. é assustador se deparar com a honestidade em sua profundidade. não consigo ser feliz e assumo a minha realidade amarga. assim, de cara limpa, não me interesso mais em carregar minha persona social fictícia de amabilidade e alegria.

a questão é que em tempos de total desespero, você precisa se desesperar. você deve parecer triste quando você está triste. tudo é tão traumático, a vida é assim. sempre há algo que te perturba e tira do eixo. perturbadora a vida. ele, sempre ele, perturbou meu cérebro e mudou a forma que tudo veio depois se construiu.

e foi assim. eu me esqueci por completo de como ele é,  mesmo tendo jurado pra mim nunca esquecer. mas a vida se tornou um poço de esquecimento. e tudo vai sempre desaparecendo junto. minhas pernas, braços. sempre sumindo até que chegou o momento em que a lembrança da existência dele chega a ser apenas a falta da minha própria.

é um fardo que não está mais ali, mas pesa no ombro. em determinado momento você se sente seduzido por esse fardo, como se precisasse dele pra algo. eu não consigo entender. remorsos lascinantes, doses cavalares de autocrítica, pedradas no coração. nada funciona ou explica ou soluciona. damn.

Nenhum comentário: