quarta-feira, 25 de agosto de 2010

e a única verdade

teoricamente o dia termina cedo. teoricamente, também, não era pra ter tanta confusão, tanto cansaço e tanta vontade de passar horas deitado. a tentativa frustrada de tentar acabar com uma exaustão que não é física. não é só física. não é mental. não passa com horas de sono. na verdade, nem com as quatorze horas as quais me tenho proposto.

é o esgotamento que aumenta com a presença. que quase me mata com a ausência. é o cansaço de ter que ter notícias pra seguir. e de sofrer um bocado com cada uma delas.

e a única verdade é que esse é só mais um desabafo. porque não sei conviver com a certeza de que não vai passar. e não sei administrar a razão que me dá a outra certeza de que já passa. não é mais questão de escolha e nem o tal masoquismo. não é só pedir pra agosto acabar e levar junto, porque setembro traz de novo e traz pior.

sou tonto. fico tonto. e nessas horas sou mais clichê que qualquer frase de parachoque de caminhão.

desculpa, vai. é que eu não sei lidar com o que me faz mal e insiste em fazer bem. a verdade é que eu me canso. e que eu queria descansar.

8 comentários:

FOXX disse...

olha só quem voltou...
seja bem vindo de volta...

Ana Clara Otoni disse...

e a única verdade é que é tudo mentira. Não há tentativas para o cansaço, só em se cansar (leia-se enganar)mais.

Sussy disse...

O merecer de sinceros sentimentos nem sempre são devidamente correspondidos.Infiéis são os que dizem e não cumprem, os que tocam com ternura e em cólera deixam... Complexidade no simples sentir. Resumindo, na minha opinião: A espera que tanto dói, intensifica a depressão do sonhar acordado. É o que passa?

Anônimo disse...

brigado por ainda poder te ler.
j.a.

Sussy disse...

Mesmo eu dizendo que vai passa, que essas coisas acontecem e passam, nao passam. Mesmo que todos tentem amenizar com palaras, seu proprio coraçao nao deixara. Eu sei como é e sinto isso o tempo todo. Sei bem como é querer um sono como a morte, um dia ouvi que O sono é a morte incompleta e a morte o sono perfeito. Certas vezes penso que nem o mais perfeito dos sonos dará fim a essa dor. P.S.: Não o conheço, mas não demore a escrever no blog, você é como o unico cordão que me liga ao comum, o unico que intende.

Anônimo disse...

vi esse comentário que fizeram no teu blog ainda em 2009 e fiquei assustado, pq as vezes pensei isso sobre ti, mas nunca externei.

" Monique disse...
É... vc sempre me supreende...

é isso q dá não centrar as idéiais... se refugiar em coisas tolas e vãs, como amigos que nunca valeram a pena... rs... vc me entende, né? uahuahuah bjuuuuusss"

DANIEL SILVEIRA disse...

Ao ler o post, inevitavelmente lembrei de Caio F. Tomo a liberdade de reproduzir aqui o trecho que minha memória buscou:

"(...) Embora persistam essas estranhas fronteiras entre paixão e loucura, entre paixão e suicídio. Não compreendo como querer o outro possa tornar-se mais forte do que querer a si próprio. Não compreendo como querer o outro possa pintar como saída de nossa solidão fatal. Mentira:compreendo sim. (...)"

Ah! Sorria: agosto passou. :P

Autor disse...

Ah, menino, tão bom te ler.
Suas inquietações me inspiram.
Feio isso, né? Mas é verdade.
E sim, como dito, agosto passou. E setembro quase se vai!
:-P