quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

that's how i roll

se eu ficasse parado, o mínimo que aconteceria era continuar sofrendo do estômago, dos rins, do fígado e de qualquer órgão do meu corpo que pudesse gritar que algo estava errado. sagitário, ascendente em peixes, lua em algum lugar que esqueci e algo que atravessa uma casa da minha vida de uma forma que acho que nem o zodíaco explica. e dói.
eu entendo que você pense que o seu ciclo fechou, que cumpriu o papel dignamente, que a honestidade foi até a última gota e que eu estava livre. minha intenção era que acabasse ali também. olha, na verdade você não faz ideia do quanto eu realmente gostaria que isso tudo tivesse sido uma paixão. daquelas à moda, com direito a tudo: riso, beijo, ciúme, choro, dor e acabou.
se tivesse existido e terminado e hoje eu só me lembrasse de como era, ia ser uma paixão. mas ela montou acampamento e bate na minha cabeça dizendo que minha vida continua. e pior, que a sua também continua e eu não faço tão parte dela assim.
dá vontade de mandar à merda quem, com boa vontade, vem com aquelas soluções de sempre. deixa eu explicar que não adianta fechar os olhos, eu te vejo do mesmo jeito. tapar os ouvidos não impede que sua voz fique passeando na minha cabeça oca. me desligar do mundo também não ajuda. não é a internet que vai impedir que eu fique conectado sozinho em você.
o dinheiro contado do fim do mês até que ajuda. ficar queimando a cuca pra ver se o investimento dos tostões que restaram vão para uma passagem pro interior ou pra vinte cervejas. distrai.
se eu continuasse parado, a vida ia sucumbir de vez. eu escrevo. eu me empenho. eu te deixo na sua. a vida segue e ninguém vê que aqui, embaixo disso tudo, ainda tem um eu esburacado. eu fico na minha. that's how i roll.

3 comentários:

Athila Goyaz disse...

Voltou co tudo hein!?
Gostei do seu desabafo, às vezes precismos botar isso em pratos limpos e ouvir, seja qual for, uma resposta.

abraços!

FOXX disse...

lindo texto!
e que bom que vc continuou andando
fico feliz
sei que vc não está falando no texto
daquilo que te prendia qndo te conheci
mas eu noto, até pelo comentário acima, que vc tb continuou andando
fico feliz
vc merece!

Autor disse...

Ainda bem que a gente não pára.
Move on.
Sempre!
Beijo do seu filho da puta preferido.