terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Decidindo o fim e seguindo

Era só aquela vontade de ter fé que você ia recolher os meus pedaços, e que o meu pedaço inteiro ia completar o seu. E tudo não passava de uma vontade de querer ser entendido entre acordes, entre sons, entrelinhas. E me enrolava, claro, porque a minha real intenção estava em uma só linha, só naquela música e unicamente naquele som. Cantavam pra mim que o tempo lava a alma e cura a dor. Erraram a letra, acertaram na melodia. O tempo não cura. Coitado, ele só esconde tudo que você não quer mais sentir num canto isolado do seu ser. Mas não tira de lá. Ele só pede para você não procurar, não vasculhar. Mas como tentar poetizar sem sentir aquela dor que me fazia sentir ainda mais amor. 
Estranho, parece que faz tempo que eu não escrevo sobre mim. Eu me enfrentei, vesti minha carapuça mais velha e falei pra vida que eu queria seguir. Tudo aconteceu como eu plantei, como eu pintei, com finos traços de um pincel que eu nem sabia que ainda tinha tinta. Pintei Monet, Picaso, Cézzanne, Da Vinci e até Frida Khalo tentando achar o caminho incerto mais correto. Mas foi naquele dia 31, quando 2009 chegava, naquela esquina, a mesma que há algumas semanas escoava as lágrimas de uma dor sem tamanho, que eu escolhi viver só com as lembranças. Sigo agora o resto de um traçado que ainda não tem fim. Para enfim, ter a certeza que cedo ou tarde eu vou chegar. E agora eu vivo em paz com o tempo, sem brigar e sem pensar em tudo que há de vir depois. 

12 comentários:

Ana Clata Otoni disse...

Quando li "escolhi viver só com as lembranças" parei a leitura e pensei que talvez eu tenha cansado das lembrancas e quisesse mais algumas para colecionar, guardar pra sempre. Só não sei se as conseguirei de volta, e isso não me deixou em paz, não me deixou não pensar em tudo o que virá depois. Sabe o porquê? Tenho medo do que o tempo pode fazer deixando uma ferida aberta pra sempre, uma história encerrada. Um ponto bem fincado no final, onde mais dói.

Autor disse...

Eu acho que somente um amor apaga a dor de outro amor.
Será?
Pra mim funciona assim.
Então... siga, amigo!
Uma hora vc vai ver q isso passou e ainda rirá de como tudo aconteceu.
Ou terá pena.
Sei la´!

[Felipe Galvan] disse...

Sou amigo da Thais Goetz e gostei do seu blog, te indiquei para um SELO está no meu blog ok?

um grande abraço e siga os procedimentos.

[Felipe Galvan] disse...

ps.: se ignorar a samara vem puxar seu pinto à noite.
ps.2: é no blog cão selvagem.

Thais Goetz disse...

oi!

Rafael Morello disse...

Eu também sigo em frente, ás vezes sem norte, outras sem saber porque, mas fico feliz de sentir esta energia que mais que idéias ou projetos elaborados, me faz simplesmente seguir... Bj

Gay Alpha disse...

adorei! poderosa a reflexão. e sobre a terceira pergunta, quem sabe um dia eu a faça pra vc... hahahaha!!! abraços!!!

Fernanda disse...

Adorei o seu blog!

Autor disse...

Isso aqui ainda existe? rs

. fina flor . disse...

querer ser entendido realmente é complicado às vezes.....

beijos e bom fim de semana,

MM.

Rafael Morello disse...

Kd vc? Sinto falta de seus posts. Atualiza! Bj

Autor disse...

Tipo assim, insisto em dizer: BLOG É PRA SER ATUALIZADO!
humpf!
rs