sexta-feira, 4 de abril de 2008

TV: novosídolos e Ídolos

Na próxima quarta-feira (se nada mudar), o SBT estréia a sua versão genérica do Ídolos. Bem genérica, por sinal. Depois de uma batalha com a Rede Record na luta pelos direitos autorais do programa junto à Fremantle Media, Silvio Santos se deu mal e apelou para uma versão tabajara do reality show que na teoria deveria ter dado o status de ídolos a Leandro Lopes e Thaeme Mariôto, respectivamente vencedores da 1ª e 2ª edições do programa.

Com mais êxito comercial - sempre com bons patrocinadores - do que de audiência em si, o SBT demorou a demonstrar interesse junto à produtora para uma terceira temporada do programa. A Record, de olho no potencial de faturamento do reality, deu o seu lance e acabou levando a melhor.

Para não desperdiçar uma equipe já pronta e bater de frente com a Record, a emissora da Anhanguera coloca no ar na próxima semana um verdadeiro show de calouros batizado de "novosídolos". Assim mesmo, tudo junto e em caixa baixa. Pelas chamadas e de acordo com o anunciado em uma coletiva de imprensa no último dia 1º de abril, o programa vai mudar o foco principal. Sai de cena a busca pelo "novo ídolo" do Brasil e um espetáculo de figuras bizarras assumem o controle. A busca pelo humor, elemento que garante a audiência dos primeiros episódios que mostram as audições, é a fórmula que o SBT aposta para o sucesso do programa.

Desta vez, não vai haver só um vencedor, muito menos um contrato com uma gravadora para lançamento de um cd. O campeão mensal do programa vai levar um carro pra casa. Ao contrário das edições anteriores de Ídolos, "novosídolos" fica permanente na grade, sem definição de temporada. Além disso, não somente cantores solo poderão mostrar o seu...talento. Bandas, duplas e instrumentistas também poderão marcar presença.



Em contrapartida, a Record já anuncia o seu "Ídolos", o original. Porém, a estratégia de divulgação não faz referência em nenhum momento às duas edições anteriores exibidas pela concorrente. No lugar de Lígia Mendes e Beto Marden, Rodrigo Faro, ex-Globo, assume o comando do programa. Já o corpo de jurados, uma das principais peças do programa, ainda não foi definido.

Na apresentação do programa, a Record já garantiu apoio ao "ídolo" que for lançado lá. Ao contrário do SBT, que não deu apoio aos dois vencedores, a Record garante investimentos na divulgação do vencedor e quer realmente alçá-lo ao status de estrela, comparados aos American Idols e Latin American Idols. Os revelados pelo SBT seguem na batalha e usam a exposição do programa para tentar firmar uma carreira. Leandro, desde o Carnaval, assumiu o Rapazolla e já começa a fazer seus shows. Pelo que se fala, é a primeira vez que ele tem um empresário de verdade e uma equipe que cuida da carreira. Antes, como ídolo, foi largado ao relento.

Thaeme continua galgando sua carreira pouco a pouco. Ainda não teve clipe, não fez um show oficial de lançamento do cd, e conta somente com o apoio incondicional dos fãs para conseguir o destaque que tanto merece. Mais uma vez a gravadora Sony BMG só se deu o trabalho de lançar o cd no mercado, sem nenhuma divulgação.

Resta esperar para ver quem sairá vitorioso do Ídolos Record, e se o destino musical deste vai ter mais sorte.

Nenhum comentário: