sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

dia 5 - equivocada

não tem rima que faça um
"eu não te amo mais"
virar poesia

e no quinto dia, ele acabou.

dia 4 - blame it on me

difícil é gostar do que é de verdade
do que vai se mostrar imperfeito
do que não vai ser magia fulltime

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

dia 3 - flutua

esperar é muito complicado
mas a vida fica muito mais complicada
se a gente opta
por não esperar

hoje, por vezes, eu te quis. e muito.
hoje, outras vezes, eu te quis demasiado.
hoje, uma vez, eu apenas quis.

sem mais o que poder fazer ou poder querer.
eu te espero.

(o dia 3 teve ares de 5. me confundi.
ou às vezes não tem calendário. nunca teve. e a contagem é só uma distração pro que já está definido)

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

dia 2 - tungstênio

hoje eu falei de mim. 
falo pouco, você sabe. 
menos que o suficiente, talvez. 
mas eu contei. 
pra ouvir o de sempre. 
que amar é ceder. 
que relacionamento é ajustar. 
que é pra tentar. não desistir. 

hoje eu não chorei. 
eu choro muito, você sabe. 
mais que o suficiente, talvez. 
mas eu pensei muito. 
pra entender o que está aqui.
aqui. 
a conclusão é que 
não se parece nem um pouco
com pouco amor 
e nem de longe 
parece com algo que 
vai acabar. 


o que eu ouvi: 
- e esse penteado novo? 1x
- você esqueceu de pentear o cabelo? 1x
- o fê está falando menos que o normal 1x 
- não desiste 3x



segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

dia 1 - aquele em que eu chorei com o garçom

"respeitar o silêncio"
quando o despertador tocou às 6h20, eu pedi mais 20 minutos. ao acordar de veras, eu lembrei que hoje era o primeiro dia sem você. primeiro de não sei quantos. pode ser o primeiro de todos. 

no metrô, o spotify me sugeriu uma música do ney que se chama "depois melhora". e foi o meu mantra durante o dia. 

na reunião da firma, eu desliguei. igual ao sábado de manhã quando voltávamos do nosso dia de "atividade" e eu fiquei com fome. o sistema parou. meu sistema. quando eu acordei, vi que a garrafinha de água de uma das gerentes da empresa tinha a mensagem "tudo vai dar certo". e esse passou a ser o meu segundo mantra do dia. "depois melhora". "tudo vai dar certo". 

no almoço eu chorei. na verdade, eu chorei ainda no elevador enquanto decidia o que queria comer. no restaurante, eu pedi uma limonada e na hora que o garçom trouxe eu não consegui dizer "obrigado" inteiro porque, mais uma vez, eu chorei. na verdade, eu derramei uma lágrima. o choro mesmo tava engasgado. 

eu fui à igreja são josé, ali do lado do trabalho. não fui rezar. eu só queria um lugar tranquilo. eu queria ficar em paz. e lá eu chorei mesmo, de cabeça baixa. 

dói não ter você. dói que você não tenha certeza sobre a gente. dá medo. 
ficar longe, pra mim, não resolve. 

o que eu ouvi hoje:

- que cara é essa? 2x
- e essa cara de morto? 1x
- você tá assim por que? 1x 


domingo, 28 de janeiro de 2018

fim de farra

farra
dedo falso
dentifrício
manete
osso extra
óóóóóó
croácia/turquia/hungria
egito
cook top
três tipos de água
mucuri
gogumelo
cipriani
frango ou bife
congelados sadia
menina saliente


"eu desisto"

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

moema

a pessoa que eu mais admiro, disparado, é uma mulher chamada moema simões que me envia, desde 1999, um e-mail semanal com a programação da agenda lírica de petrópolis  ainda que eu não abra os e-mails da moema desde 2000, eu gosto de saber que eles estarão ali toda quinta-feira.

moema já deve ser mãe. quiçá avó. eu prefiro pensar que moema já é avó porque lá em 1999 eu já a imaginava como uma senhora de 42 anos em frente a um computador criando a newsletter da lírica de petrópolis. agora, moema já tem, certamente, um neto de três anos que leva o nome do avô, pai do marido da filha dela.

moema para mim é aquela senhora que também ajuda o padre na sacristia na missa de domingo e dança batendo palma de forma lenta e espaçada, num ritmo próprio, sem seguir exatamente as batidas da música que está tocando.

é bom abrir meu hotmail e encontrar moema. assim como não abro os e-mails, não os deleto. estão lá, entre as propagandas do peixe urbano, do chico rei e da americanas formando uma linha do tempo. uma linha do meu envelhecimento. dos cabelos brancos de moema. do neto com nome do avô, pai do marido da filha dela. das traições de seu marido. do tempo em que as pessoas ainda usavam hotmail. e da persistência de moema para que todo mundo saiba tudo sobre a agenda lírica de petrópolis.